InícioNotíciasCom a força do Amor
Notícias

Com a força do Amor

4 Maio 2016

Etiquetas: Javier Echevarría, Amor, homilia, Josemaria Escrivá
Foi editada no México a homilia "Com a força do Amor" por ocasião do Ano Santo da Misericórdia. A apresentação, que recolhemos neste artigo, foi escrita pelo Prelado do Opus Dei.

“Fui testemunha em muitas ocasiões da pregação de S. Josemaria: ela era exortação dirigida à cabeça e ao coração dos ouvintes, mas , em primeiro lugar, verdadeiro diálogo com Deus. Experimentei centenas de vezes essa tensão para com Deus das suas palavras a fim de ajudar os homens, seus irmãos, e, no entanto continua a chamar-me a atenção essa força, sempre que releio as suas homilias.

Na homilia que tem como título Com a força do amor entrecruzam-se vestígios muito claros dessa experiência. “Senhor, porque chamas novo a este mandamento?” lemos, por exemplo, num dos primeiros parágrafos. É uma pergunta que, com efeito, S. Josemaria dirigia com repetida insistência a Deus Pai, Filho e Espírito Santo, na sua oração pessoal, ou no enquadramento de uma meditação em voz alta, ou de uma homilia pregada durante a Missa. “Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei” (Jo 13, 34), tinha dito Jesus aos discípulos na Última Ceia. No entanto, o dever de amar o próximo já existia no Antigo Testamento. Por que então chamá-lo “novo”?
Peçamos a S. Josemaria que nos ajude a fomentar os mesmos sentimentos e afetos que brotavam do Coração misericordioso de Jesus e que brotam também de todos os santos e santas que nele se refugiaram."

Façamo-nos todos a nós próprios esta pergunta: cada um como se fazia a si próprio S. Josemaria. Há uma resposta negativa que dava a si próprio e que fazia também a todos: porque não o pomos em prática, porque continua sem ser estreado. Mas há também uma resposta positiva: o mandamento de Jesus é novo porque a sua bitola, como “Eu vos tenho amado”, aponta para muito mais do que qualquer sentimento natural ou qualquer conclusão de cariz ético – ”como queríeis que os outros vos amassem”, por exemplo – nunca chegará a sugerir. Se, apenas Deus, que é amor infinito, pode estabelecer como lei suprema a caridade e revelar-no-la com a sua encarnação e com o sacrifício da própria vida.

Por isso, para o cristão, escreve São Josemaria, pondo-nos alerta quer do sentimentalismo quer do intelectualismo – o amor consiste em “conviver com o próximo, venerar (…) a imagem de Deus que existe em cada homem”. E veneramos essa imagem de Deus com o nosso sorriso, com a nossa ternura, com o nosso esforço de compreensão, de generosidade, de carinho… que não é mero sentimento que não é cálculo de forças positivas: encerra outra coisa, pede muito mais.

O Papa Francisco, ao convocar o ano jubilar da misericórdia, chamou-nos a um exame de consciência pessoal: o mundo precisa de amor e misericórdia. E não basta aspirar a que as estruturas sociais, políticas, internacionais… melhorem as condições de vida da humanidade. É preciso que o coração de cada homem e de cada mulher se converta a Deus e ao próximo. Convertido a Deus, será acolhido pela misericórdia, “trave mestra que sustenta a vida da Igreja” (bula Misericordiae Vultus, 10). Convertido ao próximo, será fonte de misericórdia e poderá assim “entrar mais ainda no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina” (ibidem, 15).


Parece-me oportuno sugerir que, ao meditar nesta homilia, peçamos a S. Josemaria que nos ajude a fomentar os mesmos sentimentos e afetos que brotavam do Coração misericordioso de Jesus e que brotam também de todos os santos e santas que nele se refugiaram.

Qua a Virgem Maria, Mãe de Misericórdia, nos acompanhe nesta senda como acompanhou o seu Filho no caminho do Calvário com a força da fé, com a força da esperança, com a força do amor”.

Javier Echevarría
Prelado do Opus Dei



Artigos relacionados

Vídeo

Natal 2015: felicitação do Prelado do Opus Dei

"O Natal é a entrega misericordiosa de Deus a toda a humanidade." Assim explica esta festa o prelado do Opus Dei, neste vídeo.

Vídeo

Supera-te todos os dias

Breve video de S. Josemaria em que anima a não ter vergonha de ser "un pobre vaso de barro", com defeitos, mas lutaremos toda a vida para não os ter, até ao fim. Isso é amor".

Vídeo

Vivo porque estou apaixonado

“Que enlouqueças de amor. Um amor puro e limpo”

Documentos

Etiquetas em Notícias