InícioDe RomaFrancisco na Missa de Pentecostes: O nosso ADN é ser filhos de Deus
De Roma

Francisco na Missa de Pentecostes: O nosso ADN é ser filhos de Deus

Etiquetas: Filhos, Oração, Pentecostes
  Vídeo. (Rome Reports). O mundo de hoje, assinalou o Papa durante a Missa de Pentecostes, vive na orfandade. Disse que a pretensão de viver sem Deus deixa uma profunda nostalgia no homem do século XXI. Um homem que não conhece Deus, seu pai, e que além disso, não sabe como dirigir-se a Ele porque não tem quem lhe ensine a rezar. Hoje em dia, disse Francisco, há um grande analfabetismo espiritual.

FRANCISCO
" o analfabetismo espiritual generalizado que nos deixa incapazes de rezar; a dificuldade em sentir como verdadeira e real a vida eterna, como plenitude de comunhão que germina aqui e desabrocha para além da morte; a dificuldade de reconhecer o outro como irmão, porque filho do mesmo Pai; e outros sinais semelhantes.
A tudo isto se contrapõe a condição de filhos, que é a nossa vocação primordial, é aquilo para que fomos feitos, o nosso «DNA» mais profundo mas que se arruinou e, para ser restaurado, exigiu o sacrifício do Filho Unigênito”.

Nesse mesmo dia o Vaticano deu a conhecer a mensagem do Papa para a Jornada Mundial das Missões que se celebrará em outubro.

Nela Francisco destaca o trabalho realizado pelas mulheres missionárias e também que em tempos de crises, injustiças e guerras, é mais urgente evangelizar.

Artigos relacionados

Vídeo

O Papa explica o que ocorreu durante o Sínodo da família

Na audiência geral, Francisco explicou o Sínodo da Família de outubro de 2014. Disse que não houve "censura prévia” e que em nenhum momento alguém pôs em dúvida as "verdades fundamentais do sacramento do matrimónio”.

Vídeo

"A paz começa no coração"

O Papa Francisco anima todos a viver a jornada de jejum pela paz na Síria, no Médio Oriente e no mundo inteiro. Também -acrescentou o Papa- pela paz nos nossos corações. Porque a paz começa no coração".

Vídeo

O Papa clama contra o tráfico ilegal de armas

O Papa Francisco voltou a reclamar a paz no Angelus do domingo. Agradeceu a presença dos milhares de peregrinos que o acompanharam na vigília de jejum e oração na noite de sábado e também a todas as pessoas de diferentes religiões que se uniram em todo o mundo a essa iniciativa.

Documentos

Testemunhos