São Josemaria
Textos de São Josemaria

Misericórdia e serviço

Etiquetas: Jesus Cristo, Oração, Serviço, misericórdia, Papa Francisco
O Papa está tendo algumas audiências especiais por ocasião do ano da misericórdia. Na de março, com o título "Misericórdia e serviço" recordava que "o amor se concretiza no serviço humilde, feito no silêncio e escondido". Apresentamos alguns textos de S. Josemaria que podem ser úteis para rezar sobre este tema.

Texto da audiência de 12 de março de 2016

"Querido irmãos e irmãs:
No relato de S. João que acabámos de ouvir, Jesus, o Mestre, o Senhor, lava os pés aos discípulos. E diz-lhes que façam isso mesmo entre eles. Jesus ensina aos discípulos que o serviço é o caminho que devem percorrer se quiserem viver a sua fé nele e dar testemunho do amor. O lava-pés mostra-nos o modo de atuar de Deus para com o homem, não com palavras, mas com obras e em verdade. O amor concretiza-se no serviço feito no silêncio e sem publicidade. Este manifesta-se também quando pomos à disposição da comunidade os dons recebidos do Espírito Santo, e quando partilhamos os bens materiais para que ninguém careça do necessário. A partilha e o dom aos que necessitam é um estilo de vida, um caminho de autêntica humanidade, que Deus sugere inclusivamente a muitos que não são cristãos. Por último, não esqueçamos que o convite a lavarmo-nos os pés significa viver na nossa vida o mandamento novo do amor, confessando mutuamente as nossas faltas, perdoando-nos do fundo do coração e rezando uns pelos outros."
O lava-pés, Tintoretto
O lava-pés, Tintoretto

Textos de S. Josemaria para meditar

O Senhor, lava os pés aos seus discípulos, e diz-lhes que façam o mesmo entre eles.
Agora, na Última Ceia, Cristo preparou tudo para se despedir dos seus discípulos, enquanto estes se envolviam pela centésima vez na disputa sobre quem seria o maior desse grupo escolhido. Jesus levantou-se da mesa, depôs o seu manto e, pegando numa toalha, cingiu-se. Depois lançou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a limpar-lhos com a toalha com que estava cingido.

Pregou de novo com o exemplo, com obras. Diante dos discípulos, que discutiam por motivos de soberba e de vanglória, Jesus inclina-se e cumpre gostosamente o trabalho próprio de um servo. Depois, quando volta para a mesa, comenta: Compreendeis o que vos fiz? Vós chamais-me Mestre e Senhor e dizeis bem, porque o sou. Se eu, pois, que sou o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, deveis também lavar-vos os pés uns aos outros. A mim comove-me esta delicadeza do nosso Cristo, porque não afirma: se eu faço isto, quanto mais deveis fazer vós! Coloca-se ao mesmo nível, não coage: fustiga amorosamente a falta de generosidade daqueles homens.

Como aos primeiros doze, o Senhor também nos pode insinuar a nós, como de facto nos insinua continuamente: exemplum dedi vobis, dei-vos exemplo de humildade. Converti-me em servo, para que vós saibais, com coração manso e humilde, servir todos os homens.
Amigos de Deus, 103

Pedro diz-Lhe: "Senhor, Tu lavares-me os pés, a mim?!". Responde Jesus: "O que Eu faço, não o compreendes agora; entendê-lo-ás depois". Insiste Pedro: "Tu nunca me lavarás os pés!". Replicou Jesus: "Se Eu não te lavar, não terás parte coMigo". Simão Pedro rende-se: "Senhor, não só os pés, mas também as mãos e a cabeça!".

Ao chamamento a uma entrega total, completa, sem vacilações, muitas vezes opomos uma falsa modéstia como a de Pedro... Oxalá fôssemos também homens de coração, como o Apóstolo! Pedro não admite que ninguém ame Jesus mais do que ele. Esse amor leva-o a reagir assim: - Aqui estou! Lava-me as mãos, a cabeça, os pés! Purifica-me de todo, que eu quero entregar-me a Ti sem reservas!
Sulco, 266

O amor concretiza-se no serviço humilde, feito no silêncio e escondido

Diz o Senhor: "Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros. Nisto se conhecerá que sois meus discípulos".
- E São Paulo: "Levai a carga uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo".
- Eu não te digo nada.
Caminho, 385
"Queres um segredo para ser feliz? Dá-te e serve os outros, sem esperar que te agradeçam."


Quando tiveres terminado o teu trabalho, faz o do teu irmão, ajudando-o, por Cristo, com tal delicadeza e naturalidade, que nem mesmo o favorecido repare que estás a fazer mais do que em justiça deves.
- Isso, sim, é fina virtude de filho de Deus!
Caminho, 440

Se o Senhor te deu uma boa qualidade, ou uma habilidade, não é somente para te deleitares ou para te pavoneares, mas para a utilizares com caridade em serviço do próximo.
E quando encontrarás melhor ocasião para servir do que agora, ao conviver com tantas almas que partilham o teu mesmo ideal?
Sulco, 422

Esquece-te de ti mesmo... Que a tua ambição seja a de viver apenas para os teus irmãos, para as almas, para a Igreja; numa palavra, para Deus.
Sulco, 630

Quando te custar fazer um favor, prestar um serviço a uma pessoa, pensa que é filha de Deus; lembra-te de que o Senhor nos mandou amar-nos uns aos outros.
Mais ainda: aprofunda quotidianamente neste preceito evangélico; não fiques na superfície. Tira as consequências - é muito fácil - e adapta a tua conduta de cada instante a essas exigências.
Sulco, 727

Oxalá saibas, diariamente e com generosidade, contrariar-te, alegre e discretamente, para servir e para tornar agradável a vida aos outros.
Este modo de proceder é verdadeira caridade de Jesus Cristo.
Forja, 150

Queres um segredo para ser feliz? Dá-te e serve os outros, sem esperar que te agradeçam.
Forja, 368

Perdoando-nos do fundo do coração e rezando uns pelos outros.


Perdoar... Perdoar com toda a alma e sem resquício de rancor! Atitude sempre grande e fecunda!
Esse foi o gesto de Cristo ao ser cravado na cruz: - "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem!"; e daí veio a tua salvação, e a minha.
Sulco, 805
"Habitua-te a confiar cada uma das pessoas com quem te dás ao seu Anjo da Guarda, para que a ajude a ser boa e fiel e alegre"

Com quanta insistência o Apóstolo S. João pregava o "mandatum novum"! "Amai-vos uns aos outros!".
Pôr-me-ia de joelhos, sem fazer teatro - grita-mo o coração -, para vos pedir, por amor de Deus, que vos estimeis, que vos ajudeis, que vos deis a mão, que vos saibais perdoar.
Portanto, vamos banir a soberba, ser compassivos, ter caridade; prestar-nos mutuamente o auxílio da oração e da amizade sincera.
Forja, 454

Esforça-te, se é preciso, por perdoar sempre aos que te ofenderem, desde o primeiro instante, já que, por maior que seja o prejuízo ou a ofensa que te façam, mais te tem perdoado Deus a ti.
Caminho, 452

Habitua-te a confiar cada uma das pessoas com quem te dás ao seu Anjo da Guarda, para que a ajude a ser boa e fiel e alegre; para que possa receber, a seu tempo, o eterno abraço de Amor de Deus Pai, de Deus Filho, de Deus Espírito Santo e de Santa Maria.
Forja, 1012

Comunhão dos Santos... Bem a sentiu aquele jovem engenheiro, quando afirmava: "Padre, em tal dia, a tal hora, estava a pedir por mim!".
Esta é e será a primeira ajuda fundamental que havemos de prestar às almas: a oração.
Sulco, 472

"Reza por mim", pedi-lhe, como faço sempre. E respondeu-me, assombrado: "Mas, aconteceu-lhe alguma coisa?".
Tive de lhe explicar que a todos nos "acontece" sempre "alguma coisa", a todo o instante; e acrescentei que, quando falta a oração, mais "coisas" nos acontecem, e "pesam".
Sulco, 479

Reza por todo o mundo, pelos homens de todas as raças e de todas as línguas e de todas as crenças; pelos homens que têm uma ideia vaga da religião e pelos que não conhecem a fé.
-E este afã de almas, que é prova fiel e clara de que amamos Jesus, fará com que Jesus venha.
Forja, 949