São Josemaria Escrivá. Fundador do Opus Dei - Aconteceu nesta data Vida e ensinamentos de São Josemaria em cada dia. http://www.pt.josemariaescriva.info/ <![CDATA[24.4.1967]]> “Temos a obrigação de procurar que cada vez haja menos pobres, menos ignorantes, menos gentes sem fé, menos desvalidos pela doença ou pela velhice sem assistência cristã carinhosa. Não por uma concessão de caridade, mas por direito. O trabalho, a especialização, a formação profissional é que dão a riqueza, meus filhos, e a Obra tem como fundamento o trabalho. Onde trabalhamos? No meio da rua. Não podemos estar separados dos nossos colegas nem por uma mortalha de papel de fumar”, diz nesta data.]]> <![CDATA[23.4.1912]]> Faz a Primeira Comunhão: “Tinha eu dez anos. Quem me preparou foi um velho escolápio, homem piedoso, simples e bom. Foi ele que me ensinou a oração da comunhão espiritual”. Diz assim: “Eu quisera, Senhor, receber-vos com aquela pureza, humildade e devoção com que vos recebeu a vossa Santíssima Mãe; com o espírito e o fervor dos Santos”.]]> <![CDATA[22.4.1941]]> Morre, em Madrid, Dolores Albás, mãe de São Josemaria, enquanto o filho prega um retiro para sacerdotes em Lérida: “Oferece as tuas dores por este trabalho que vou fazer, pedi eu à minha mãe ao despedir-me. Anuiu, embora não tenha podido evitar dizer baixinho: este meu filho!”.]]> <![CDATA[21.4.1974]]> Tiram-lhe esta fotografia a conversar com uma das participantes num congresso internacional universitário que se realiza em Roma por esses dias. Acerca da universidade tinha dito numa entrevista: “É necessário que a Universidade incuta nos estudantes uma mentalidade de serviço: serviço à sociedade, promovendo o bem comum através do trabalho profissional e da atuação pública. Os universitários devem ser responsáveis, sentir uma sã inquietação pelos problemas dos demais e um espírito generoso que os leve a enfrentar estes problemas e a procurar encontrar para eles a melhor solução. É missão da Universidade dar tudo isto aos estudantes”.]]> <![CDATA[21.4.1973]]> Conversa com uma das participantes num congresso internacional universitário que se realiza em Roma por esses dias. Acerca da universidade tinha dito numa entrevista: “É necessário que a Universidade incuta nos estudantes uma mentalidade de serviço: serviço à sociedade, promovendo o bem comum através do trabalho profissional e da actuação pública. Os universitários devem ser responsáveis, sentir uma sã inquietação pelos problemas dos demais e um espírito generoso que os leve a enfrentar estes problemas e a procurar encontrar para eles a melhor solução. É missão da Universidade dar tudo isto aos estudantes”.]]> <![CDATA[20.4.1994]]> Em 1994, D. Javier Echevarría é eleito e nomeado, por João Paulo II, prelado do Opus Dei. Sucede a Dom Álvaro del Portillo, primeiro sucessor do fundador do Opus Dei. Foi um colaborador muito próximo de São Josemaria Escrivá de Balaguer, de quem foi secretário desde 1953 até à sua morte, em 1975.]]> <![CDATA[20.4.1932]]> Tem em casa uma pequena imagem, que não se conserva, pela qual sentia uma especial devoção: chamava-lhe a Virgem dos Beijos, porque a beijava sempre que entrava ou saía de casa: nesta mesma data escreve: “entre as seis e meia e as sete menos um quarto vi, durante bastante tempo, como o rosto da minha Virgem dos Beijos se enchia de alegria, de júbilo. Fixei-a bem: julguei que sorria, porque assim me parecia, mas os seus lábios não se moviam. Fiquei muito sereno, disse à minha Mãe muitos “piropos”.]]> <![CDATA[19.4.1943]]> No hospital de San Fernando, Madrid, com o engenheiro Isidoro Zorzano que viria a falecer quatro meses mais tarde. Anos atrás havia-lhe escrito numa carta: “Se temos de ser o que o Senhor e nós desejamos, temos de nos fundamentar bem, antes de tudo, na oração e na expiação (sacrifício). Orar: nunca deixes, repito, a meditação depois de te levantares; e oferece em cada dia, como expiação, todas os incómodos e sacrifícios do dia”. Isidoro foi uma das primeiras pessoas que pediu a admissão no Opus Dei. O seu processo de canonização teve início no ano de 1948.]]> <![CDATA[18.4.1933]]> Escreve: “Tu..., soberba? - De quê?”. Virá a ser o ponto 600 de Caminho.]]> <![CDATA[17.4.1927]]> É Domingo de Páscoa e está em Saragoça (Espanha). Dois dias mais tarde, dia 19, vai de combóio para Madrid, onde viverá os dez anos seguintes. “Pensava eu, andando na rua, [...] - escreve nos Apontamentos íntimos -, que Madrid foi o meu Damasco, porque aqui caíram-me as escamas dos olhos da minha alma [...] e aqui recebi a minha missão”. Referia-se ao facto de que nessa cidade Deus lhe ter feito “ver” o Opus Dei.]]>