InícioTestemunhos
Testemunhos

Card. François-Xavier Nguyên Van Thuân

Um bom cidadão

11 Janeiro 2002

Sei que Josemaria Escrivá desejava que no catecismo da doutrina cristã houvesse algumas referências aos deveres sociais e políticos dos cristãos na comunidade civil para formar deste modo, desde a infância, os católicos na unidade de vida: um bom cristão deve ser também um bom cidadão. O seu desejo tornou-se realidade, e o Catecismo da Igreja Católica dedica o segundo capítulo da terceira parte a esta temática.

Card. George Pell, Arcebispo de Sidney, Austrália

Superar as inconsistências entre a vida intelectual e a vida de fé

10 Janeiro 2002

O cristocentrismo de Josemaria Escrivá, com a sua interpretação unificadora de todos os aspectos da vida, permite superar as inconsistências que apareceram em séculos passados entre a vida intelectual e a vida de fé, entre a vida espiritual e o trabalho científico, entre a vida cristã e a vida profissional. Tudo isto é particularmente providencial hoje, especialmente no mundo ocidental em que as defesas sociais de paróquias e escolas, e inclusivamente as das famílias, foram debilitadas por teorias teológicas facilmente aproveitadas por uma rádio, uma televisão e uma Internet imbuídas de um novo paganismo .

D. Juan José Omella, Bispo de Barbastro-Monzón, Espanha

Amar mais a Deus

9 Janeiro 2002

Viveu uma vida enraizada em Cristo, amou apaixonadamente e com alegria a Igreja, e fundou o Opus Dei. Damos graças pelo que a Obra foi para a Igreja e para tantas pessoas a quem ajudou a conhecer e a amar mais a Deus.

Card. Camillo Ruini, Roma

Um ponto de referência firme no início do terceiro milénio

9 Janeiro 2002

Duc in altum. Mar adentro. Perante esta perspectiva, o espírito de São Josemaría é um ponto de referência firme no início do terceiro milénio. A vida e as obras do santo apresentam-nos uma orientação para não perder de vista a primeira e fundamental “prioridade pastoral” que o Papa marcou para toda a Igreja: a santidade.

Card. Paul Shan, S.J., Bispo de Kaohsiung, Taiwan

Este livrinho…

6 Janeiro 2002

Desde que descobri este livrinho (Caminho), tenho-o utilizado com frequência na minha oração. Não é só um guia para atingir os cumes da espiritualidade cristã. Constitui também um guia sobre o modo como nós, os cristãos, devemos amar a Igreja.

Card. Dionigi Tettamanzi, Arcebispo de Génova em 2008, Itália

Mestre moderno de vida interior

1 Janeiro 2002

"Vamos ver quando te convences de que o teu único caminho possível é buscar seriamente a santidade!
Decide-te - não te ofendas - a tomar Deus a sério. Essa tua superficialidade, se não a combates, pode acabar numa triste paródia blasfema" (Sulco, 650).

[continuar a ler...]

Card. Carlo Maria Martini, Arcebispo de Milão em 2002, Itália

As raízes bíblicas sobre as quais se fundamenta a santidade

1 Janeiro 2002

"Esperar não significa começar a ver a luz; significa confiar de olhos fechados em que o Senhor a possui plenamente e vive nessa claridade. Ele é a luz" (Sulco, 91).

[continuar a ler...]

Card. Camillo Ruini, Roma

Para o católico do nosso tempo

1 Janeiro 2002

"Esta é a tua tarefa de cristão: contribuir para que o amor e a liberdade de Cristo presidam a todas as manifestações da vida moderna: a cultura e a economia, o trabalho e o descanso, a vida de família e a convivência pessoal" (Sulco, 302).

[continuar a ler...]

Ler “Caminho” na clandestinidade

Alexander Zorin, escritor e poeta. Moscovo, Rússia

1 Janeiro 2002

Alexander Ivanovich Zorin nasceu em 1941 em Moscovo. Foi, desde muito novo, escritor e poeta. Estudou Literatura. Durante a era soviética ganhou a vida a trabalhar em empregos relacionados com a geologia, a pescar “kjoljós”, e a traduzir poesia para o russo. A partir de 1980, começou a publicar obras suas. Nesse mesmo ano teve conhecimento da existência de Josemaria Escrivá através de um sacerdote ortodoxo chamado Alexander Men, que mais tarde seria assassinado, e de quem era profundamente amigo. Ouviu falar de Josemaria Escrivá e conseguiu pouco depois um exemplar clandestino de “Caminho” em russo que veio a ser uma inspiração para a sua vida e para o seu trabalho.

[continuar a ler...]

Cardeal Dario Castrillón Hoyos, Prefeito da Congregação do Clero em 2002, Itália

A hora de todos os cristãos

1 Janeiro 2002

"Quando vires uma pobre Cruz de pau, só, desprezível e sem valor... e sem Crucificado, não esqueças que essa Cruz é a tua Cruz: a de cada dia, a escondida, sem brilho e sem consolação... que está à espera do Crucificado que lhe falta. E esse Crucificado tens de ser tu." (Caminho, 178).

[continuar a ler...]